sábado, 31 de dezembro de 2011

2012 Tricolor e Copeiro!

Bem, eu já vivo incomodando o pessoal do TOGT no twitter, agora vou colaborar aqui no site. Sou um torcedor comum, que vou ao estádio e ama o tricolor, ou seja, igual a maioria de todos que lêem e acompanham o TOGT. Aliás, não acredito que haja maior ou menor apaixonado pelo tricolor, amamos intensamente este clube que é uma grande paixão e em comum temos o desejo de seu sucesso. Desta forma elogio e critico pensando no bem do time, do clube que amo.
Ano novo, vida nova! Esta frase pode soar muito clichê, mas poucas vezes resumiu tanto o sentimento da nação tricolor! Não quero entrar em quem foram os responsáveis por tantas trapalhadas e desacertos em 2011. Também seria precipitado dizer que as coisas de um ano pra outro mudaram como em um passe de mágica. Os acertos de um ano passam pelos equívocos de outro, não poderia ser diferente! O que irrita, e isto é assunto pra outro texto, é que não se vê o clube como algo continuado, se vê nosso tricolor como ciclo de 2 ou 4 anos, que não se relacionam entre si, colocando a instituição Grêmio em segundo plano em relação a projetos de grupos ou pessoas.
Ao mesmo tempo, por coincidência ou não, não tenho visto o coração na ponta da chuteira, não tenho visto superação, vontade, entrega ao menos não como me acostumei a ver meu tricolor. Nunca imaginei que escreveria isto, que não vi entrega nos jogadores do Grêmio. Postei no twitter este ano que vi o Vasco jogando como o Grêmio, pegando, mordendo, marcando, e vi o Grêmio na mesma rodada jogando como o futebol carioca, tocando de lado, sem profundidade, sem vontade, perdia o jogo e administrava o placar. Isto não existe, isto definitivamente não é o Grêmio.
O Grêmio de 2010 tinha uma base, mas a palhaçada com o MercenáR10, a perda de Jonas e outras verdades não se confirmaram em 2011: o Victor não foi o mesmo goleiro, Gabriel, Lucio e outros que surgiram como afirmações afundaram junto com Lins, Gilsons, Rafas, Clementinos, Adilsons, e tantos outros, resultaram num ano para ser esquecido em termos de resultado e servir como referência do que nunca mais pode ser feito. O que restou positivo de 2011 é que Marcelo, Mário Fernandes, Saimon e Fernando se afirmaram como bons jogadores, somados a boa contratação do Júlio César, que estão no centro do projeto para este ano.
Talvez, e Maquiavel destaca que tem que se ter virtude e fortuna, nossa sorte seja que 2012 vem com recursos da nova negociação dos direitos da TV e a virtude esteja, estando com a temporada encerrada cedo, tenhamos ido cedo pra negociações difíceis e potencialmente caras. Marcelo Moreno e Kleber representam uma grande dupla de ataque. Marco Antônio era desejo de todos grandes clubes paulistas, e veio de graça. Léo Gago veio pelo mesmo valor que o Grêmio vendeu o Adilson, alguém duvida de acréscimo técnico com estas contratações? Acredito que muitos viram um vídeo de jogadas do Diego Nunes, bom meia, além dos zagueiros Grolli, Pablo e Sorondo.
A necessidade, bem mais que vontade, nos faz ter que dispensar jogadores que não renderam ou não vão ter espaço no projeto de 2012. Eu sou fã de Lúcio, André Lima e Rafa Marques pelo carinho e identificação com o clube que eles têm, mas seus salários altos e condição de jogador de grupo, talvez nem de reserva imediata, não seja a mais adequada para suas carreiras, desta forma entendo acertada a decisão de colocar eles no mercado. Com certeza em times como Palmeiras, Botafogo, Portuguesa eles vão ser jogadores importantes, talvez titulares indiscutíveis, mas pro Grêmio vencedor que queremos não. Aliás temos que enxugar a folha, até para aumentar a capacidade de investimento, sem medalhões que não tenham um perfil do Grêmio Copeiro! Um jogador que ganhe R$ 300 mil por mês, custa quase R$ 4 milhões por ano, mais os encargos. Isto justifica o clube manter Viçosa e apostar no seu crescimento, como alternativa de grupo, ao invés de André Lima.  Isto explica insistir em Colaço que é bom lateral, ao invés de Lúcio.  Neste sentido Borges, Carlos Alberto, Leandro e outros jogadores que pagamos em 2011 e estão fora dos planos, saindo da folha de pagamento representem, talvez, mais que o salário das contratações efetuadas.
Toda e qualquer economia se justifica para manter, bem remunerado e com contratos longos, atletas como Douglas, Kleber, Moreno, Mário, Victor e Fernando que estão num patamar acima de qualidade. Desta forma Gabriel, apesar do alto salário se justifica, pois é um raro lateral direito e o Grêmio necessita de outro bom lateral direito no grupo. Apesar dele em 2011, como quase todo mundo, não tenha tido um bom ano.
Vou contar com a palavra da diretoria, Pelaipe (que mudou a cara do futebol do Grêmio) e Odone e pensar o que time que apoiaremos nas cadeiras e arquibancadas do Olímpico, e depois na Arena: Victor, Mário, Zagueiro a ser contratado, Saimon e Julio César, Fernando, Léo Gago, M. Antônio e Douglas, Kleber e Moreno. Reservas imediatos: Marcelo, Gabriel, Vilson, Sorondo e Colaço, Gilberto, Rocka, Felipe Nunes e Marquinhos, Leandro e Miralles. Conto com o zagueiro porque é uma promessa sempre repetida. Por outro lado não conto com Carlos Eduardo que entraria como titular neste time, e conto com Douglas pela evolução recente. Isto serve como projeção. Com certeza pro grupo do segundo semestre, pro bem e pro mal, teremos algumas alterações, mesmo que pontuais.
O pensamento da torcida gremista é o seguinte: 2012 tem que ser um ano vencedor. Não falo de vencer o gauchão, estou falando de vencer a Copa do Brasil e disputar o Brasileiro até o fim, como o Vasco fez este ano, jogou tudo com vontade, jogou para ganhar!Este grupo de jogadores tem qualidade, tendo raça, vestiário e o treinador não atrapalhando temos tudo voltar a pintar o Brasil de azul, preto e branco.
                                                                                                                             Por @getuliovargasjr

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sou Gremista e você? Venha fazer parte dessa Imensa torcida

Sou Gremista e você? Venha fazer parte dessa Imensa torcida 

     E aí Gremistas leitores desse espaço, tiveram um bom Natal?
     Na publicação dessa semana,o assunto se desvia de análises táticas ou o time para 2012 e vai discutir sobre quem é a maior torcida do Rio Grande do Sul.
     É inegável que o nosso rival, aquele time vermelho que muitos dizem ser Campeão de Tudo, mas que sempre faz uns fiascos, como o contra Mazembe, que vale ressaltar acabou de completar 1 ano do maior vexame de toda a história do futebol mundial, vem a partir de 2006 se tornando um “pouco” importante e ganhando destaque nos meios de comunicação, sobretudo após as conquistas de 2 Libertadores e alguns títulos internacionais, como a Copa Suruga ou Dubai Cup. Enfim, títulos inexpressíveis, mas que exalta a equipe do Beira-Rio, sobretudo do arrogante torcedor colorado.
     No entanto, apenas introduzi esse assunto, para chegar ao que interessa, que é o Meu e o Seu e claro o Nosso Grêmio.
     Há dias que venho pesquisando notícias na internet à respeito de quem é a maior torcida no Rio Grande do Sul; confesso que achei informações confiáveis no ano de 2010, mas desse ano nenhum dado oficial, até que encontrei pesquisas realizadas por meio do site globoesporte.com, nomeadas Teoria dos Jogos, que não foram feitas em todo o estado, contudo integrou as cidades de Caxias do Sul e Pelotas, municípios que contemplam respectivamente 433.564 e 328.275 habitantes, conforme os últimos dados do IBGE(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
     Dessa forma, comparando os dados de 2010, em que o Grêmio tinha a 6º maior torcida nacional e era disparado a maior torcida do Rio Grande do Sul, com os dados recentes da Teoria dos Jogos, tive a certeza que o Tricolor Gaúcho é sim o maior clube do estado.
Nesse contexto, gostaria de destacar mais um detalhe, nas cidades pesquisadas pelo blog Teoria dos Jogos, a população com idade entre 16 e 24 anos, a maioria é Gremista, mesmo essa geração não sendo tão vitoriosa, como é o meu caso, que nasci em 94, e tenho como principais conquistas vistas, a da Batalha dos Aflitos e alguns Gauchões.
    Portanto,o nosso Grêmio segue cada vez mais brilhante e mesmo sem títulos de expressão há alguns anos, é e acredito que sempre será a maior torcida do Rio Grande do Sul. Querem mais alguma prova que sempre seremos Imortais e os Donos do Sul? E aí, eu sou do Grêmio, o melhor time e com mais torcida do Sul e você? 

                                                                                                                    Por @Jandrey_jgo

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Ano Novo, Time Novo

Ano Novo, Time Novo
     No fim da temporada 2010, o cenário mostrava um Grêmio classificado para a
Libertadores depois de um segundo turno épico e uma torcida extasiada. O Tricolor terminaria
o ano como a “sensação do campeonato” e havia grande expectativa para a campanha
gremista rumo ao Tri da América. Só bastavam manter as peças e agregar dois ou três nomes
pontuais para o grupo do técnico Renato.
     Começou 2011 e a situação tornou-se totalmente adversa. Vendo a preocupação em
trazer Ronaldinho Gaúcho, Tiago Gonçalves, procurador e irmão de Jonas, grande destaque
do time e goleador absoluto do Brasileirão, decidiu por levar seu produto a outros mercados
e colocou Jonas no Valencia, da Espanha. Faltando três dias para o jogo de ida da Pré-
Libertadores.
     Houve quem condenasse Jonas pela forma como aconteceu. Eu, não. Jonas se doava
pelo time, foi artilheiro de uma grande campanha e viu-se desvalorizado e preterido por uma
aposta. Naquele momento, Jonas seria mais “certeza de sucesso” do que Ronaldinho. Não
pensaram assim, Jonas se foi.
     Junto com Jonas, perdemos Paulão e Fábio Santos. O primeiro, zagueiro idolatrado
pela torcida e que havia endireitado nossa zaga pelo alto e pelo chão, foi vendido para o
futebol chinês. Usamos Rafael Marques em seu lugar. Já Fábio Santos, era odiado pela torcida.
Quem diria que iria deixar saudade... Deixou, e muita. Foi duro jogar uma Libertadores tendo
que ver Bruno Collaço e Gilson em seu lugar, já que Lúcio era meia. E para o ataque, nada?
Teve a chegada de Lins, vindo do Criciúma como aposta e afundou rapidamente. Assim como
os outros contratados. Escudero foi pouco usado, C. Alberto causou problemas de indisciplina
e Rodolfo não conseguia repetir a época do Fluminense de 2008.
     Passado o fracasso e o filme de terror que vivemos em 2011, estamos com um
horizonte muito melhor e mais animador para o ano que vem. O grupo que está sendo
entregue ao novo técnico, Caio Júnior, é mais qualificado. Estão sendo feitas apostas, como os
meninos Pablo (zagueiro), Douglas Grolli (zagueiro) e Felipe Nunes (meia-esquerda), e o meia
Marco Antônio, que vem da Portuguesa campeã da série B.
     Mas a grande alegria é de saber que o Grêmio “foi com tudo às compras” e está
montando um grande time. Temos um zagueiro que é problemático, mas apenas por seu
histórico de lesões. Sorondo, uruguaio de grande talento e caráter. E, para o meio-campo, o
Grêmio contratou Léo Gago, do Coritiba e ex-Vasco e Avaí. Volante de 28 anos, canhoto de
bom chute de fora da área.
     Animador, não? E eu nem mencionei nossa nova dupla de ataque: Kléber “Gladiador”
e Marcelo Moreno. Uma dupla de gente que sabe fazer gol e que alia qualidade, técnica e raça.
Tudo o que o Grêmio precisa para 2012, para voltar a ser assustador para os adversários.
Que nossa temporada 2012 seja de muito sucesso e que nosso novo time ganhe
tudo o que vier, para dar ao Olímpico a despedida que merece. A Direção trabalhou, reforços
chegaram. Falta só você pegar junto e acreditar.
     Força e raça, meu Grêmio.
     Por @maurinhodutra

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

GRÊMIO: Potencial pouco explorado

GRÊMIO: Potencial pouco explorado

       Uma questão que gostaria de levantar, pois acredito que muitas vezes passa “batido” nas discussões sobre o GRÊMIO, é como as gestões tratam o marketing do clube.
Ouvimos todos os dias reclamações do déficit financeiro, da falta de dinheiro para investimentos e contratações, mas percebo um Grêmio com poucas soluções para chegar à resolução deste problema. 

     Mesmo passando pela crise do capital que se instaura no mundo, nota-se investimentos pesados em publicidade esportiva no Brasil, como nunca antes visto. Alguns clubes passaram a valorizar muito mais sua marca, buscando uma relação mais próxima com seus torcedores e aumentando as receitas de publicidade. 
     Percebe-se hoje uma mudança no método de gestão de alguns clubes, que anteriormente era baseado somente na formação e venda de jogadores para um modelo idealizado na valorização da marca e fidelização dos torcedores. Alguns clubes que passaram a ser os atuais protagonistas no Brasil, estando entre os postulantes a títulos, se mostram na vanguarda desse processo, como o Corinthians, São Paulo, Cruzeiro e até mesmo o nosso rival. 
      Por sua vez, o Grêmio demonstra uma enorme demora para entender essas mudanças e acaba sempre correndo atrás, ficando, infelizmente, em um segundo nível de clubes no Brasil neste quesito. Se algo se torna tão importante para os clubes, não está na hora da direção gremista abrir os olhos e dar mais valor para isso?  O Grêmio necessita criar ações marketing que recoloque o clube no patamar que merece, inflame seu torcedor e conquiste novos adeptos e fontes de renda. Um clube grande deve parecer grande, não só de vitórias ele vive, mas também do seu potencial comercial.
     Os maiores clubes do mundo se tornaram grandes, pois conseguiram romper fronteiras e vender suas marcas por todos os continentes e faturam milhões com isso.
     Com a era da internet a todo vapor, o marketing virtual tricolor é tímido, disponibiliza ao seu consumidor uma página deficitária em muitos momentos. Raras ações chegam de fato mobilizar a maior parte da torcida.  Mesmo com o aumento evidenciado nas receitas, chegamos a um déficit financeiro recorde no ano de 2010. Fica claro que algo está errado, falta capacidade dos nossos gestores ou é será a falta de profissionalização da direção? 
     Quero propor uma discussão maior sobre o modelo de gestão do clube e ver o associado mais atencioso e participativo às questões do clube. 
Acostumamo-nos a sermos os melhores, por isso sempre cobramos contratações milionárias e um time vencedor na busca de nossa quimera, o mundial. Contudo, faz-se necessário renovar, evoluir, planejar em longo prazo. Esperamos ao menos que a Arena consiga trazer mudanças profundas na gestão tricolor, não apenas trocas de pessoas, mas sim de pensamentos, ideias.

 Curiosidades:
- Lembram do árbitro Djalma Beltrami, que apitou a final da batalha dos aflitos expulsando meio time do Grêmio??  Pois é, acaba de ser preso no Rio de janeiro acusado de receber propinas do tráfico de drogas.



Saudações Tricolores.

Éder Puchalski

Feliz Natal, Nação Tricolor

Feliz Natal, Nação Tricolor
     O post de hoje vai ser mais curto, mas seria heresia de minha parte deixar de fazê-
lo. Então, estou aproveitando a oportunidade para desejar a você, amigo que me acompanha
neste espaço já há alguns meses, um grande e feliz natal.
     Que Deus e os Gremistas lá do céu conspirem a nosso favor e despejem alegria, paz,
saúde e tudo de bom em nossas vidas, e ilumine os corações e as mentes de nossos Dirigentes
e Comissão Técnica, para que no ano que vem nós possamos comemorar um Natal muito azul.
Nossos “presentes” já foram entregues para a temporada que se aproxima e a Direção
está se esforçando para montar um time de qualidade que conduza nosso Grêmio ao caminho
das vitórias e grandes conquistas. Que estes novos guerreiros se unam aos guerreiros que
permanecem aqui e o Manto Sagrado seja honrado e bem representado dentro dos gramados
do futebol.
    Um grande abraço, que Deus o abençoe e ilumine. Feliz Natal, Gremista!
Força e raça, meu Grêmio.

Por @maurinhodutra

Um ano novo se aproxima!

Um ano novo se aproxima!
     Então é Natal e o que você fez, o ano termina e nasce outra vez.” Queridos Gremistas,começo mais uma publicação em clima Natalino e fazendo um balanço de mais um ano de decepções,mas com esperança do próximo, o nosso time voltar a ser aquele que desperta ódio nos Rivais e inveja por suas conquistas e o porquê somos o Imortal Tricolor.
     E o que o Grêmio fez esse ano?Praticamente nada, tivemos a oportunidade de ganhar o Gauchão, estávamos com a vitória e o título encaminhados, no entanto não veio!Por que? Muitas vezes explicar o motivo da derrota é difícil e a palavra SE surge, se tivéssemos entrado com um time diferente,se nos defendêssemos um pouco mais,se e se.Essa partícula apassivadora,por mais que tentemos responder as causas de nossas derrotas,devemos excluí-la de nosso vocabulário,ao menos na linguagem do futebol. E a Libertadores,o Tri ficou distante e alcançável apenas em 2013.Contudo,por que não conquistamos esse campeonato?Poderia apontar vários fatores para o fracasso,mas destacarei apenas um: não tínhamos um elenco qualificado. O Campeonato Brasileiro,só foi a consequência de um ano mal planejado e o resultado,infelizmente,todos nós Gremistas,sabemos.
     Após,análises opostas das que gostaríamos de ouvir, repleta de conjunções adversativas, a conclusão de um ruim ano, tentou ser explicada,ainda que de forma ineficaz,visto que no futebol,as vezes as explicações não são válidas.Porém,trago uma boa notícia,O “Ano termina e nasce outra vez”,e antes mesmo do término desse ruim 2011,a Direção tão contestada,mostra que pretende um 2012 excelente e com a cara do time que há anos esperamos,o Verdadeiro Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.Dessa forma, desejo a todos os Leitores desse espaço,Gremistas como eu, um Feliz Natal e um Próspero ou melhor muito Próspero Ano Novo,seja nos Estudos,seja no Amor,seja na Vida Profissional, e claro no nosso querido e amado esporte,o Futebol!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Como será 2012?





Esta é a pergunta que não quer calar para os torcedores.
Gremistas do mundo todo estão na expectativa por um novo ano, totalmente diferente de 2011, pois este deve ser esquecido, sem títulos, com raras vitórias de encher os olhos e dar felicidades a nação tricolor.
Com inúmeros erros administrativos, dirigentes empilhando trapalhadas, trocas de técnicos (cito Renato, o homem gol), que sem dúvida influenciaram diretamente dentro das quatro linhas. Foi um ano apático.

Mas o que importa, se o Imortal teve um ano ruim, somos imortais e vamos recomeçar. Já dizia o poeta Pablo Neruda “O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido”.
2012 já iniciou, o mercado já está em polvorosa e o GRÊMIO está se mexendo, vagarosamente, mas está. A pré-temporada começa dia 06 de janeiro e precisamos de um time completo e competitivo para mudar o traçado deste ano. Dificuldades financeiras há, mas em qual clube no Brasil não há?
Estamos de comandante novo e pensamento positivo para um futuro melhor. Foi contratado o Gladiador para inaugurar a Arena, mas esperar um ano inteiro não dá, a torcida não aceita, precisamos de um time vencedor para o inicio de 2012, apenas um bom jogador não é o suficiente para voltar a ganhar títulos e realizar a despedida do monumental como merecido, pois assim o deve ser lembrado, vitorioso.
Mais do que apenas contratar bons jogadores o GRÊMIO necessita mudar, “limpar” quem não tem espírito vitorioso, quem nunca foi e não será, por aqui ao menos, um vencedor. A direção do clube deve fazer uma profunda reflexão sobre as causas que levaram o time e também o clube à situação atual, os conselheiros têm obrigação de conhecer os problemas do GRÊMIO e auxiliar na busca de soluções. Devem combater picuinhas, acabar com os vazamentos de assuntos internos para a imprensa.
Se o mau desempenho do time na temporada de 2011 foi um reflexo da formação do grupo no início do ano, este inicio deve mudar, a diretoria do tricolor, principalmente Paulo Pelaipe, quem me parece que responde pelas contratações, precisa definir um conceito de futebol e servir de orientação para formação do grupo 2012.
O certo é que nós gremistas estamos na mão do senhor Paulo Pelaipe, confiando ou não, 2012 passa por ele. Não nos decepcione.

Saudações Tricolores.

Éder Puchalski
@EDpuchalski

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Douglas: Mais Um Talento Que Podemos Perder


No início de 2011, uma polêmica enorme rondou o Estádio Olímpico com a saída de Jonas. Criou-se uma celeuma em função de seu desabafo com a social naquela virada sobre o São José. Acusaram o jogador de fazer corpo mole para ir embora, sendo que, na verdade, Jonas não recebera a atenção que merecia, enquanto os olhos se voltavam a Ronaldinho. Muitos torcedores nunca gostaram de Jonas, hoje ele faz parte da Seleção de Mano Menezes e está valorizado no Valencia. Enquanto Ronaldinho se destaca mais por suas “estripulias” na web e pelos salários atrasados.
Jonas não foi o primeiro caso de jogador que estava se destacando, tinha antipatia por parte da torcida e, quando saiu, se destacou no novo clube. Este fato é bastante comum aqui no Grêmio. Em ordem cronológica, aconteceu com Diego Souza em 2007, Roger em 2008, Maxi López em 2009. Todos eles vinham, em certo ponto, jogando bem, mas nunca tinham 100% de apoio da torcida, sempre tinha um “pé atrás”.
Desde 2010, outro jogador talentoso, talvez com mais talento do que os acima citados tem passado trabalho com a torcida. Douglas. Nosso camisa 10 tem altos e baixos, é verdade. Por isso, é chamado ora de Maestro, ora de “preguiçoso”, “chinelinho” etc. Há quem diga que Douglas precise de um “goró” pra poder jogar bem. Tudo porque Douglas é avesso à marcação, carrinhos e “não tem o perfil do Grêmio”.
Resultado disso: em dezembro de 2012, Douglas estará encerrando seu contrato com o Tricolor. Isto significa que em junho ele pode assinar um pré-contrato e deixar o Grêmio de graça. Sendo que sua multa rescisória está fixada em R$ 50 milhões. Não seria nada legal perder um jogador do talento raro de Douglas porque picuinhas com a torcida o fizeram querer sair do clube, ainda mais sem lucrar nada com isso.
Vai ser muito raro você ver Douglas dar um carrinho “a La Dinho” num adversário ou dar um pique de 20 metros pra buscar um atacante que vai invadir a área do Victor. Você vai ver algumas vezes ele parado no centro do campo esperando a bola. E você ainda pode ver alguns grandes momentos, como um passe milimétrico que deixa um atacante “pifado”, ou até mesmo um chute lindo que morre no ângulo do goleiro e explode o estádio de alegria. Douglas é um jogador de grandes características, mas precisa de apoio, carinho, e, principalmente, companhia à sua altura para que isso aconteça.
A grande verdade é que enquanto a torcida do Grêmio só aceitar jogador que seja brigador, guerreiro, mas que não tenha qualidade, nossa realidade vai ser sempre a de campanhas pífias, com alguns lampejos de sorte com ajuda da, injustamente, difamada Imortalidade. Jogador habilidoso e de talento, nunca é demais. Seja ele preguiçoso, baladeiro, o que for. O que importa é que ponha a bola na rede e conquiste resultados e títulos.
Vamos parar com essas teimosias? Deu né...
Tomara que Douglas possa permanecer por muito tempo e receba jogadores de talento para jogar ao seu lado, para que voltemos a ser o Grêmio campeão de sempre.
Força e raça, meu Grêmio.
Por @maurinhodutra
Foto @medeiros_carlos

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A Importância do Homem Gre-Nal

A Importância do Homem Gre-Nal
O clássico de ontem, quando anunciada a tabela, causava arrepios e fortes emoções quando era mencionado nas “mesas-redondas” do Rio Grande afora. Todos citavam o jogo mencionando que valeria título ou vaga na Libertadores ao vencedor. Seria demais se assim fosse. E foi, mas pena que para nós não.
Mas, infelizmente, pra eles, foi sim. Nossa campanha ao longo do campeonato não foi capaz de nos fazer sonhar com o título, muito menos com uma vaga na competição que mais gostamos de jogar. Resultado: chegamos à última rodada do Brasileirão sem nada a fazer. A não ser atrapalhar o caminho deles, que precisavam da vitória, e de uma combinação de resultados, para confirmar o passaporte.
Hoje, não vou falar do jogo em si, pois o Grêmio até não jogou tão mal assim. Foi um time bravo, lutador, com cara de Grêmio. Vendeu caro a derrota e deu uma pontinha de orgulho pra nós torcedores. Vou falar de uma figura muito importante, ao qual não vejo no Grêmio atual alguém que mereça ser chamado assim: o “Homem Gre-Nal”.
O Homem Gre-Nal é aquele jogador que cresce na hora do clássico, que “não se micha” diante do rival e sempre dá um jeito de ser destaque e chamar o jogo pra si. Jorge Veras, Paulo Nunes, Danrlei, até mesmo o Traíra, Fabiano Cachaça, Christian. Jogadores que apareciam na hora que o bicho estava para pegar.
No jogo de ontem, o Inter fez-se valer dos seus Homens Gre-Nal. Índio, na defesa, e D’Alessandro, no meio e ataque, mais uma vez jogaram bem e cresceram na hora importante. O argentino, inclusive, jogou machucado. E, ainda assim, nos deu trabalho. Armou, desorganizou nosso meio-campo, criou as mais perigosas jogadas de ataque e converteu o pênalti que deu a vitória e colocou o Inter na Pré-Libertadores.
Não vejo, no time atual do Grêmio, um Homem Gre-Nal. Victor, nosso ídolo das traves, não tem um bom histórico, mas ontem foi o nome do clássico, evitando uma derrota mais elástica. Marcelo Grohe, apesar de ser reserva, tem mais vocação para isto do que ele, pois tem melhor histórico de resultados e atuações. Nos Gre-Nais do Gauchão, Júnior Viçosa, apesar de não ter tanta qualidade, e ser, na época, reserva, estava começando a surgir, ao marcar 03 gols em dois clássicos seguidos. Mas, por falhar no clássico mais importante, o da decisão do Gauchão, e por outros detalhes, acabou emprestado ao Sport, onde jogou a Série B do Brasileirão para ganhar experiência. Outro que pode vir a ganhar este status é o garoto Saimon, que anulou o “craque” Leandro Damião nos dois Gre-Nais do Brasileirão, com direito à “Tombo da Lambreta”. Mas, como Saimon não poderia anular Damião e D'Alessandro ao mesmo tempo, não tivemos sorte.
O ano de 2011 acabou de vez. Ficam os desejos de que nosso Grêmio volte a fazer um bom trabalho, tanto dentro quanto fora de campo. Que Caio Jr. e os novos reforços somem talento ao grupo que permanecer e possamos voltar a levantar grandes títulos e ter alegrias no último ano do Velho Casarão. E que vejamos o surgimento e afirmação de novos gremistas capazes de serem chamados de Homens Gre-Nal nos clássicos daqui pra frente.
Força e raça, meu Grêmio.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Sinta orgulho de ser Gremista

Sinta orgulho de ser Gremista

     Primeiramente, afirmo que não irei escrever absolutamente nada sobre qualquer coisa referente ao nosso rival em relação à partida de hoje,haja vista que esse espaço aqui é destinado aos Gremistas,então não há porque perder o nosso valioso tempo escrevendo sobre algo que não nos interessa,mas sim para aquele que,realmente, nos alegra e orgulha por meio de suas histórias e façanhas que é o Grêmio!
     Desse modo,a partida de hoje mais uma vez nos mostrou que temos um bom elenco, e quando queremos jogar com disposição e garra conseguimos,porém elenco ainda ilimitado e com escalações por parte do técnico erradas e improváveis de êxito.Muito se especulava, na escalação do Grêmio com 4 zagueiros,3 volantes, 3 meio campistas e nenhum atacante.Felizmente,nosso time foi outro com apenas 1 atacante na frente, mas com meias que chegavam com perigo ao gol do outro time!Talvez discordem de minha opinião,entretanto considero que fizemos um bom primeiro tempo e se arriscássemos com mais atitude poderíamos até chegar a marcar um gol logo na primeira etapa, o que mudaria toda a história do jogo, pois teríamos um adversário desesperado e a busca incessante pelo gol do empate e da virada abriria atalhos para o segundo gol do Grêmio, o que liquidaria a partida.No segundo tempo,a equipe oponente atacou o tempo todo,fato que não impossibilitou que nosso Tricolor também oferecesse perigo ao adversário!Num pênalti indiscutível,o placar foi aberto e mesmo com inúmeras chances de gol e bolas na trave, o Grêmio não conseguiu o empate.
      Ainda que nossa participação no campeonato brasileiro não tenha me satisfeito, assim como a nenhum Gremista, confio num melhor ano em 2012 e mesmo com a derrota na partida de hoje, fico orgulhoso por torcer para um time que mesmo sem nenhuma pretensão na disputa, chega à última rodada como protagonista, influenciando no próprio como em outros resultado, além de desempenhar um futebol que nos anima e projeta um Maravilhoso Ano em 2012!Talvez, títulos no próximo ano não venham, contudo estamos falando de Grêmio e se tratando desse time, nada é impossível!

                                                                                                                               Por @Jandrey_jgo

sábado, 3 de dezembro de 2011

 
Grenal marca a despedida de Celso Roth do Comando Tricolor
GreNal é GreNal
          Amanhã nosso último jogo do ano e contra nosso maior rival.A vitória do Grêmio tira o Inter da Libertadores e nos garante na Sul-americana.Todos sabemos que esse não é o fim do campeonato que desejávamos,mas esse jogo, com uma vitória convincente nos projeta um ótimo ano de 2012 e o sonho de mais um ano, nossa estrela voltar a brilhar e o nome do Grêmio voltar a ser destaque no mundo.
         Ademais,considero que temos que entrar com garra e determinação, pois Grenal é Grenal , não importando o que almejamos no Campeonato.Além disso, ninguém quer receber provocações de seu maior rival, afirmando que o time deles está na Libertadores e o nosso na Sul-americana.Caso vençamos, a comemoração é diferente,visto que mais uma decepção deles por vaga na Libertadores pode ser efetuada.E aí Gremistas, o que é melhor ficar prestes a se classificar na competição mais importante da América e não conseguir vaga ou estar numa posição confortável na tabela com vaga na Sul-americana e derrotarmos o Favorito Inter? Sinceramente, fico com a segunda opção. Logo,desejo boa sorte ao nosso time e que façamos uma ótima partida, humilhando esse time que se diz o Campeão de tudo!
          Desejo que no ano de 2012,nossas façanhas voltem a ser modelo a toda terra!
Jandrey

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Melancolia

Ontem, pra você que não se lembrava, era dia de jogo do Tricolor no Monumental. Não se preocupe por ter esquecido. Afinal, o próprio Grêmio insistia em dizer pra si mesmo que não haveria jogo. Nosso time parece já estar de férias antes mesmo de acabar o ano, já que não havia mais nada de interessante a se fazer. Mas, tem que jogar, vamos lá...
O adversário de ontem era o Atlético-GO, que já estava praticamente livre do rebaixamento à série B no ano que vem. O Grêmio precisava vencer. Não para garantir alguma coisa, pois já não havia mais risco de cair, o que seria uma tragédia, e já estava praticamente garantido na Sul-americana em 2012. Precisava vencer mesmo era para “sair da seca” e, como disse Celso Roth, tentar apagar a impressão deixada pela derrota para o Ceará.
Mas ela não se apagou, Celso. Pelo contrário, conseguiu ficar um pouco pior. O Tricolor mais uma vez deu ares de estar desligado do jogo, sem interesse. E deixou o primeiro tempo do jogo modorrento e duro (de assistir, é claro). Só que do outro lado, o Atlético estava sentindo-se mais à vontade do que nunca. O jogo estava se desenhando todo para os goianos, com facilidade de toque de bola e espaços, não demorou muito para que Anselmo entrasse na cara de Victor para abrir o placar.
Roth mudou o time em decorrência da lesão de Rafa Marques. Gabriel entrou e conduziu Mário Fernandes para a zaga. Mas, além da falta de vontade, a falta de entrosamento entre Vilson e William Magrão no meio-campo também prejudicava o time gremista. Resultado: primeira etapa acabando com derrotas e vaias.
Na segunda etapa, Roth mudou o posicionamento. Mário virou volante e Vilson foi para a zaga. A mudança trouxe mais qualidade às jogadas com bola no chão. Mário mais uma vez mostrou porque é diferenciado e fez uma bela partida jogando como volante. Contribuiu para que William Magrão aparecesse mais no jogo, inclusive aparecendo na área para bater cruzado e empatar o jogo.



Sua comemoração vibrante, como sempre, fez o time se empolgar um pouco. Um minuto depois, André Lima fez uma excelente arrancada na meia-cancha. Mário acompanhou o lance e recebeu às costas da zaga para bater rasteiro e forte. Marquinhos contou com a sobra da fala de Márcio para virar o jogo, de carrinho debaixo das traves. Grêmio 2x1. Legal, né? Não... O time voltou a ser melancólico e o Atlético-GO se aproveitou e empatou o jogo aos 40 do segundo tempo, quando Victor soltou e a zaga não acompanhou o lance para afastar o perigo.
Agora, pra encerrar o ano, só falta o Gre-Nal. É pedir demais ou eu posso contar com uma vitória? Vou apoiar meu time, como sempre, para que isso ocorra. Mas é preciso ser mais dedicado, “deixar a alma em campo”. O jogo vale muito, pra eles, é verdade. Mas, já que não há mais nada a se fazer, eu aceito atrapalhar a vida deles. Mas, por favor, não repitamos o ano de 2011. Todos nós merecemos um 2012 melhor.
Força e raça, meu Grêmio.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Definitivamente, 2011 Acabou

Um fato que, para nós torcedores, já havia se confirmado há alguns muitos jogos atrás, se confirmou, ou ficou claro, para nossos jogadores depois da derrota do sábado diante do Ceará. O ano de 2011 acabou. A impressão que temos é de que os jogadores, assim como nós, tiraram o pé e “desligaram o motor do barco”. Triste, mas essa é nossa realidade.
O Grêmio entrou em campo desatento, lento, preguiçoso e desmotivado. Adjetivos que não combinam com a história gloriosa deste manto azul, preto e branco que os jogadores vestem. O time, visivelmente, não queria jogar. Não se esforçava para isto. Resultado: Perdeu...
Perdeu, pois do outro lado havia uma equipe motivada, valente e que estava disposta a morrer por uma vitória. O Ceará precisava, e muito, da vitória. Uma derrota o colocaria desesperadamente perto do rebaixamento. Veio com tudo, logo chegou ao gol, em grande jogada do jovem atacante Osvaldo, que balançou a zaga gremista e deu o gol para Felipe Azevedo. Ceará 1x0.
Queria muito dizer que o Grêmio chegou ao empate por esforço. Mas não. Só chegou porque, em um único momento, decidiu mostrar que é mais forte do que o Ceará. Foi numa jogada de Douglas. Boa jogada, por sinal, onde ele recebe na intermediária, faz o “um-dois” com André Lima e toca cruzado, no canto de Fernando Henrique.
No segundo tempo, a expectativa na arquibancada era de que o time fosse crescer e buscar a vitória. Mas, para nossa ira, não foi assim. O time seguiu modorrento, desmotivado e desmotivante. E não demorou muito para que essa preguiça resultasse em gol. Do Ceará. O pênalti de Rafa Marques teve cobrança de Felipe Azevedo, que fez seu segundo gol na partida. Ceará 2x1. E, como se a tragédia já não fosse pouca, o mesmo Felipe ainda fez o terceiro em uma jogada de erros generalizados da defesa gremista. Muito legal né? E se eu disser que Osvaldo ainda perdeu chance de fazer o quarto? É, meu amigo...
Forças para ir ao ataque o Grêmio até tinha, principalmente com Mário Fernandes e Miralles, pela direita. Leandro e Douglas também tentavam, mas insistiam, ou no preciosismo, ou nos chuveirinhos de Julio Cesar, que não davam certo também.
A coisa estava tão feia que o Grêmio conseguiu dar-se ao luxo de perder um pênalti, com Miralles, batendo no pé da trave, aos 48 do segundo tempo. Quando a paciência da torcida já se esgotara e voltavam os gritos tão conhecidos de “Adeus, Roth”.
Faltam 02 jogos para acabar o ano. Atlético-GO e o Gre-Nal. Não é pedir demais vencer estes jogos, jogando bem, não é? Terminar o ano vencendo vai melhorar os ânimos de todos, para planejar de forma eficiente o ano de 2012. Este ano que termina não pode se repetir. Precisamos chegar a dezembro do ano que vem disputando coisas importantes e comemorando sucessos ao longo da temporada. Seja com Roth ou sem Roth, com quem for, só queremos a volta de um Grêmio forte e campeão.
Força e Raça, meu Grêmio.
Por @maurinhodutra
Fotos @medeiros_carlos

domingo, 20 de novembro de 2011

E agora José?

   Sim, mais um ano acaba e nossas esperanças se voltam para o ano que vem!Na noite desse Sábado, nós, Torcedores Gremistas, confirmamos que um time sem uma boa direção, com um técnico ruim e com só alguns jogadores bons não vamos, jamais, conquistar as façanhas que o Grêmio necessita e merece.
Acredito, que não apenas o que vos escreve, mas toda a nação Gremista está cansada das mesmas promessas que a Direção todo ano nos faz, dizendo que no próximo ano nosso futuro será diferente e que todos os campeonatos que disputaremos entraremos para vencer. Dessa forma, nos iludimos, mas não cansamos de apoiar.
   Nesse contexto, é possível afirmar que nosso ano não começou tão bem, e desde Janeiro, nosso dilema era se Ronaldinho(vulgo Gaúcho) ia ou não ser contratado, torcida esperançosa, pela volta do ex-craque,no entanto, mais uma vez,esse jogador traiu e desrespeitou a Instituição Grêmio e a torcida. Mesmo assim, não nos abalamos, pois jogaríamos a Libertadores e o sonho do Tri estava vivo; não veio, sobretudo pela falta de um elenco proficiente e que suprisse com qualidade alguns desfalques. Após alguns insucessos em alguns jogos do Brasileirão e o fracasso da Libertadores, o ídolo Renato foi demitido, frustrando alguns torcedores; para seu lugar Roth assumiu e a história,infelizmente, sabemos, esta aí a vergonhosa campanha do nosso time no Brasileirão!
   Então,recorro ao poema de Carlos Drummond de Andrade E agora José, cujo um dos fragmentos, escrevo aqui: “E agora José, a festa acabou, a luz apagou,o povo sumiu, a noite esfriou,e agora José?” E agora Direção? E agora Roth?

                                                                                    
                                                                                     Por 


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Não Foi Tão Ruim Assim


Jogar no Engenhão é sempre ruim para o Grêmio. Praticamente sinônimo de derrota a cada partida que jogamos lá, independente do adversário que estivermos enfrentando. E ontem, como não estávamos disputando mais nada, tinha tudo pra ser assim de novo.
Parecia até começar o jogo. O Grêmio entrou bem, disposto e animado para enfrentar um Flu que precisava, e muito, da vitória. Afinal, uma chance de vaga na Copa Libertadores, ou ainda, de título não pode ser jogada fora em jogo dentro de sua casa. Ainda mais depois de uma derrota para o então lanterna do campeonato, o América-MG, na rodada do fim de semana.
Mas o Grêmio não quis saber disso e abriu o placar. Em uma falha de Diego Cavalieri na cobrança de escanteio, Rafael Marques, nosso “perigo nas duas áreas”, mandou para a rede. 1x0 no placar e a torcida do Fluminense via o filme do fim de semana ser reprisado.
A equipe de Roth jogava bem, mas a defesa não passava segurança. Tanto é verdade que Fred empatou o jogo em uma falha coletiva. Brandão tinha que ir, não foi. A zaga marcou touca também. Resultado: Fred se antecipou, matou Victor e empatou o jogo: 1x1. Mas o Tricolor Gaúcho não se abateu e continuou correndo e lutando. Em descida rápida no finzinho do 1° tempo, Lúcio sofreu falta. Assim como no 1° turno, Marquinhos bateu no ângulo e colocou na rede, um golaço: Grêmio 2x1.
Começa a segunda etapa e o jogo, por incrível que pareça, seguiu mais eletrizante. As duas equipes buscavam o gol o tempo todo. E, graças às atuações péssimas das duas defesas, os gols saíam. Fred apareceu livre para empatar novamente. Houve ainda a jogada de Rafael Sobis, em que ele achou espaço no bico da área e encheu o pé. Para azar de Victor, ele teve felicidade no lance e mandou no ângulo e virou o placar para 3x2 Flu.
A entrada de Lúcio na vaga do lesionado Escudero deu boa velocidade ao meio de campo gremista, e o camisa 11 voltou a repetir as boas atuações da época de Renato Portaluppi, que foi quem o colocou nesta posição. Aparecendo assim foi que ele achou Brandão livre na área e cruzou para nosso centroavante cabecear no canto e empatar de novo, 3x3. O Grêmio ainda teve forças para virar o jogo e chegar ao quarto gol. Pasmem, em um golaço de Adilson. Isso mesmo, um fato que aconteceu apenas uma vez, e há dois anos. O Guri de Bom Princípio acertou um chutaço na gaveta de Diego.
Mas os dois destaques mesmo foram Fred e o árbitro. O juiz alagoano marcou pênalti para o Fluminense em uma jogada de Adilson, em que não houve a falta, sequer algum toque. Fred não tinha nada a ver com isso, fez seu terceiro gol e empatou o jogo em 4x4. E, para colocar a cereja no bolo, o árbitro expulsou Brandão em uma jogada em que ele sofreu falta. Na sequência do lance, Fred mostrou que é matador e virou o jogo, para definir o placar em 5x4 para os cariocas.
Perdemos, mantivemos a nossa “draga” no Engenhão. O bom nisso tudo é que o time correu e mostrou brio. Nem tudo está perdido, bastam alguns reforços em 2012. Vamos trabalhar nos últimos jogos e planejar bem o ano que vem, para que 2011 não se repita.
Força e raça, meu Grêmio.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Passado, Presente e Futuro


Ato n° 1 – O Passado:
Amigo leitor, sei que você deve ter sentido falta daquela leitura pós-jogo que sempre fazemos juntos neste espaço após o preocupante e pavoroso empate diante do Palmeiras. Sim, pavoroso, pois o Grêmio não jogou absolutamente nada, e a história de Grêmio x Palmeiras sempre nos reservou grandes duelos. Foi um jogo decadente, entre um desajeitado Grêmio e um cambaleante Palmeiras, treinado por um cambaleante Felipão. De bom mesmo, vimos, no Grêmio, o golaço de Fernando, o segundo, e a jogada vertical de Leandro no primeiro. E só, também... Pois de ruim teve um time desajeitado, uma defesa lenta e um ataque praticamente nulo.
Ato n° 2 – O Presente:
Hoje, o Grêmio vai ao Engenhão encarar o Fluminense. De sangue doce, pois já não tem nenhuma responsabilidade no campeonato e, como já havia lhe referido, caro leitor, nosso ano já acabou há um bom tempo.  Mas para o Fluminense, o jogo vale muito. Uma vitória ainda o permite sonhar com o título do campeonato ou uma vaga na Copa Libertadores 2012. Se você parar e refletir que, desde a inauguração do Engenhão, nós nunca vencemos um joguinho sequer naquele estádio, a situação se torna ainda mais tensa para nosso lado. Mas, é o Manto Tricolor que vai estar em campo, então, tem que jogar com alma e coração. Uma vitória, por mais que não nos valha nada no campeonato, é sempre uma vitória, e vencer é sempre bom.
Ato n° 3 – O Futuro:
2012 vem aí, torcedor Gremista. Contando com a partida desta noite, ainda restam mais quatro jogos: Ceará e Atlético-GO em casa e o Gre-Nal que encerra o ano no Estádio Beira-Rio. De motivante mesmo, só o clássico. Com isso, o futebol acaba perdendo espaço para as especulações de reforços. Fala-se na imprensa em nomes como Vagner Love, que eu, particularmente, acho que não seria uma boa ideia, uma possível volta de Carlos Eduardo. Mas tem sido dado destaque mesmo a chegada de Kléber Gladiador. Ao que tudo indica a novela finalmente acabou. Kléber disse sim ao Grêmio, os acordos com as diretorias de Palmeiras e Cruzeiro foram feitos e nesta quinta o jogador será apresentado. Fica a torcida para que Kléber apareça apenas dentro de campo, e não fora dele. Futebol para isso, sabemos que ele tem.
É isso, caro irmão gremista. Ficam meus pedidos de desculpas pela ausência na segunda-feira e os votos de que nosso futuro seja melhor e chegue perto do passado glorioso que todos nós conhecemos.
Força e raça, meu Grêmio.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

2011: Ano Para Ser Lembrado, Mas Não Copiado


Não, torcedor. Ainda não é um resumo do nosso ano. Pretendo fazer isso, mas não agora. Lá pra depois do Gre-Nal, quem sabe. Este post serve, na verdade, pra confirmar aos realistas, como eu, e avisar aos “superotimistas” que nosso ano acabou aqui. Quer dizer, eu já achava que já tinha acabado, mas havia quem achasse que uma vitória em Minas Gerais ajudaria? Não, não faria diferença alguma.
Sobre o jogo do sábado, em Sete Lagoas, não vou nem entrar em debate. A atuação do Grêmio, como um todo, não foi boa. E, quando teve lampejos de que fosse ficar melhor, o time desandou a perder gols. E a bola pune... Resultado: perdemos por 2x0, mesmo com um homem a mais em campo.
O assunto que merece este post, na verdade, é outro. E muito mais sério, diga-se de passagem. Por mais otimista que eu seja, e quem me acompanha sabe disso, não posso me iludir, e muito menos iludir a você, querido leitor: nosso ano de 2011 já acabou há tempos, e 2012 merece atenção e foco redobrado. E PRA ONTEM. Isso mesmo, em caixa alta, pra tocar forte na ferida mesmo.
Primeiro: não podemos perder tempo em negociações. Seja o cara que for: se não quer vir pro Grêmio, nos avise. Jogador que diz que quer vir pra cá, mas fica fazendo leilão, né Ronaldinho, não serve. Precisamos de um grupo de qualidade, mas que queira jogar. Os olhos para o mercado devem estar abertos desde já, e para renovações também. Não dá pra marcar touca. Estamos há 10 anos sem título, e o Olímpico merece uma despedida gloriosa, pelo menos perto do tamanho de sua história que levantou duas Libertadores e dois Brasileirões.
Segundo: montando um time forte e um grupo competitivo, precisamos correr atrás de um bom técnico. Mas cuidado, pois há poucas opções. Secamos o Corinthians e trazemos Tite; Escolhemos Felipão ou Kléber; Talvez, Jorginho, que faz boa campanha com o Figueirense. Mas, se não for nenhum dos três, aturemos Celso Roth. Mal ou bem, com suas teimosias à parte, é melhor do que qualquer outra aposta que se faça.
Terceiro: Somando os dois primeiros itens, vamos entrar com tudo nas competições do ano que vem. Este jejum tem que acabar. Gauchão, Copa do Brasil, Sul-Americana e uma campanha mais digna no Brasileirão. O Brasil tem que voltar a ter medo do Grêmio. Mas só a Imortalidade, não basta. Para isso, é preciso muita bola. Qualidade, técnica e tática, dentro de campo (inclua a casamata, não só os onze), mas também um comando forte fora de campo e uma torcida menos corneteira. Se houver a união destes fatores e todos, eu repito, TO-DOS, pegando junto, somos muito fortes.
O ano de 2011 acabou, deve ser esquecido. Mas, abramos nossos olhos, 2011 não deve repetir-se jamais. Não devemos fazer corpo mole nos jogos que restam. Apesar de não termos nada a disputar, ainda há um Gre-Nal entre os outros jogos. Mas, independente do campeonato e do adversário, o Manto Sagrado sempre deve ser honrado. “Tem que jogar com alma e coração”. Vamos acabar o ano e nos preparar forte para o 2012 que vem por aí.
Força e raça, meu Grêmio!
Por @Maurinhodutra

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Pra Lavar a Alma e Fechar a Ferida

O domingo mais esperado do ano para a Nação Tricolor finalmente chegou. E com ares de decisão e tensão por parte de todos. Chamou a atenção até mesmo de São Pedro, que nos propiciou um lindo dia, de sol brilhante, para que o Monumental pudesse estar lotado para receber “de braços abertos” o visitante ilustre e indigesto.
Depois de o sistema de som do Monumental anunciar o nome de Ronaldinho e o time carioca entrarem em campo, se ouviu simplesmente A MAIOR VAIA DA HISTÓRIA DO FUTEBOL MUNDIAL pra cima do Traíra. Foi tão estridente que “abafou” os Hinos Nacional e Rio-Grandense, sem contar que deixou Ronaldinho atônito e transtornado. Mas, vamos ao jogo, que é o que interessa:
O Flamengo veio a campo disposto a jogar por Ronaldinho, e o Grêmio, por sua honra. Rolou a bola e nos primeiros instantes, adivinhe: falta para o Fla, de onde R10 gosta. Apreensão no Monumental, Ronaldinho vai para a bola. Um filme de terror acaba na defesa espetacular de Victor, que faz a bola tocar a trave para evitar o gol.
O Grêmio saia para o ataque, mas exercia um “falso domínio”. Sim, pois chegava sem bater a gol. Tanto que as melhores chances foram de Douglas e Julio Cesar, em chutes de fora da área, em duas boas defesas de Felipe. Mas quem não faz, toma. E no caso do Grêmio, tomou duas vezes: na primeira, um escorregão de Rafael Marques, depois da deixadinha de Thiago Neves, deixou Deivid na cara de Victor. E no segundo, o próprio Thiago, contando com o desvio em Fernando, ampliou a vantagem do Flamengo.
O Grêmio parecia sentir o golpe, demonstrado no excesso de vigor de Saimon, que levou cartão amarelo por chegar forte em Ronaldinho. Fato que a torcida comemorou muito, é verdade. Mas teve força para terminar o primeiro tempo diminuindo a diferença. Depois de tanto insistir em chegar tocando a bola, André Lima recebeu do peito de Mário Fernandes e girou para botar na rede. Vibração no Olímpico e 1x2 no placar.
André Lima agradecendo pelo 2° gol gremista
Sequência de vaias, intervalo, bate-papo de Celso Roth e o Grêmio volta disposto a “acabar com a palhaçada”. Saimon não voltou, deu lugar a Adilson para fechar os espaços e anular a criação do Flamengo. Quem se esqueceu de fechar o espaço foi Renato Abreu. Ele tomou uma “caneta” de André Lima que acabou em um lindo chute, colocado no canto de Felipe. 2x2 no placar e o inferno de Ronaldinho ganhava mais intensidade. Tanta intensidade que fez o “MercenáR10” sumir do jogo e sucumbir diante do paredão Gilberto Silva.
Para completar, Ronaldinho achou que a torcida e o Grêmio não teriam forças. Mas ele se esquece de que juntos, somos quase imbatíveis. Ainda mais quando se conta com o talento de um camisa 10 de verdade, digno de nossos aplausos e nosso respeito, Douglas. Ele passou o jogo inteiro procurando o gol, foi nosso maior destaque. E foi premiado pelo esforço, com um golaço. Vindo da direita, um lindo drible sobre Júnior César, um chute cruzado no canto de Felipe. Pronto, Ronaldinho. Veja o Olímpico vir com tudo pra cima de você. Grêmio 3x2.
E para completar a festa, Miralles. O argentino, queridinho da torcida na rixa com Celso Roth, marcou um golaço para o Professor ver. Como se dissesse: “Professor, é assim que você quer”?
Depois de receber de Adilson, ele saiu da marcação e bateu com o lado interno do pé, no ângulo de Felipe. O Olímpico explodiu em festa com os 4x2 do Grêmio. Ronaldinho, a esta altura, já não interessava mais. Pois era tudo festa. Ou melhor, interessava. Mas só para dizer: Ronaldo Moreira, você vai pagar pelo resto da vida o preço por ser ingrato para com este clube e esta torcida. Foi um prazer imenso pisar em cima de você com a goleada de ontem e com, repito, A MAIOR VAIA DA HISTÓRIA DO FUTEBOL MUNDIAL.
Força e raça, meu Grêmio.

Por @Maurinhodutra
Fotos @medeiros_carlos

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Aos “Porra-Locas” de Plantão

Aos “Porra-Locas” de Plantão,
Todos nós esperamos ansiosamente desde janeiro por este reencontro que acontecerá no Estádio Olímpico na tarde do próximo domingo. Será o dia em que estarão frente a frente Ronaldinho e a torcida gremista. O dia em que todas as mágoas serão postas pra fora depois das traições dos Irmãos Assis Moreira.
Houve aquela polêmica toda, depois de uma cansativa novela. Ronaldinho é especulado, direção confirma, inicia negociação, a torcida abraça a causa e decide até mesmo um possível perdão depois da traição de 2001, quando o então menino Ronaldo deixou o Grêmio. Mas o desenrolar todo mundo sabe, até mesmo as caixas de som que foram instaladas no gramado e removidas vergonhosamente logo em seguida. E isso fez o sentimento de perdão cair por terra e se transformar em uma das maiores demonstrações de repulsa que o mundo já presenciou.
Desde quando Ronaldinho foi apresentado no Flamengo e divulgaram a tabela de jogos do Brasileirão se contavam os dias até que este dia 30 de outubro chegasse. Pois é, torcedor, a hora está chegando. Ronaldinho vem aí. E a recepção será calorosa, com certeza. Repleta de homenagens por parte da torcida que um dia o idolatrou e hoje o odeia. Vem aí, a “Malhação de Judas” da torcida tricolor.
Vale cartaz, vale hino irônico, vale a brilhante ideia dos amigos do Blog Grêmio Libertador, de trazer a faixa | $ PILANTRA $ |, que você pode adquirir por 5 pilas, e vale também o que você quiser inventar.
Mas, lembre-se de uma coisa: SEM VIOLÊNCIA!
Este jogo será muito perigoso. Dentro de campo, não valerá praticamente nada para o Grêmio, é verdade. Mas o clima de guerra criado pela presença de Ronaldinho receberá olhos do Brasil inteiro, principalmente dos nossos “muy amigos” integrantes do STJD. Então, fica o pedido a você, amigo gremista: Venha fazer sua homenagem, descontar sua raiva do Dentuço Pilantra, mas não atire objetos ao campo, não tente invadir o gramado, por maior que seja a sua vontade de “desmontar a pau” essa criatura, e não faça tumultos na chegada da delegação carioca a Porto Alegre e ao Monumental. Isso pode nos custar muito caro. Resultando, quem sabe, em seu afastamento dos jogos e punindo o Grêmio com a perda de muitos mandos de campo, ficando longe do Olímpico e do alento da torcida. Nós não queremos que nenhuma dessas coisas aconteça, mas se você pensa em algum tipo de “furdunço”, como diria o Nêgo Véio do Alegrete:
Por favor: FIQUE EM CASA.
Não se esqueça, é o Grêmio que vai estar em campo. Ele é maior do que qualquer jogador, independente da história do jogador em questão, e precisa do teu grito de apoio. Venha ao Olímpico, participe do momento. Mas venha com um intuito principal: cantar pelo Grêmio e empurrá-lo para a vitória. Vamos dar a maior lição de como amar e respeitar um clube que o futebol já viu.
Força e Raça, meu Grêmio.
Po @maurinhodutra

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Pontos Jogados Fora Sempre Fazem Falta


Em 2008 o Grêmio líder do campeonato, perto do título. Um empate com o Figueirense aqui no Olímpico praticamente limou nossas chances de título. Em 2009, naquele fatídico jogo do “Entrega, Grêmio”, o Inter chegou na última rodada clamando por uma vitória nossa contra o Flamengo por desperdiçar pontos importantes em casa. São exemplos de como se jogar uma campanha fora. E, mais uma vez, o Grêmio vacilou.
Só pro América-MG, foram quatro. Sim, some ao empate de ontem o empate em 1x1 no Olímpico, considerando que você poderia ter vencido com facilidade, e está tudo ferrado. O lanterna do campeonato, time frágil tecnicamente, ajudou a debilitar nossa campanha no Brasileirão.
No jogo deste sábado, o gramado molhado por causa da chuva que atingiu Sete Lagoas deixou o jogo mais difícil para o trabalho das jogadas, mas o Grêmio dominava as ações da primeira etapa e dava aulas de como perder gols. Até que em uma cobrança de falta, o lateral Thiago Carleto dispara um chute forte. A bola ganhou velocidade, raspando na grama molhada, e atrapalhou Victor. Resultado? América 1x0.
Os mineiros conseguiram reverter o domínio da partida a partir do gol, mas aos 30 minutos perderam um jogador por expulsão. Aproveitando a vantagem, o Grêmio voltou a pressionar e logo chegou ao gol. 2 minutos depois, André Lima empata, depois de finalizar com força. 1x1 no placar e expectativa de crescimento do Tricolor na partida.
Segundo tempo, o Grêmio começa pressionando e chega ao segundo gol logo cedo. Descendo pela lateral-esquerda, Julio Cesar cruza e pega André Lima livre na área, ele sai da marcação e bate forte. Grêmio vira o jogo, 2x1.
Mas o aproveitamento da vantagem de um jogador a mais durou pouco. O América passou a igualar o domínio do jogo e pressionava nas faltas e chutes de longa distância. A saída de Douglas, com dores nas pernas, prejudicou ainda mais o Grêmio na partida. Sem contar que Roth facilitou ainda mais a vida do América retrancando o time e trazendo os mineiros pra dentro de seu campo. Até que na falha de marcação da bola aérea, mesmo com um homem a mais, o América empatou o jogo em 2x2. Entregamos o resultado, perdemos pontos importantes, ficamos definitivamente sem chances de G-5 (que, mesmo acreditando, seria utopia), e acabamos mais uma temporada sem grandes conquistas.
E agora, chegou a semana que todos esperavam desde janeiro. O reencontro entre Ronaldinho Gaúcho e a torcida do Grêmio. Mas cuidado, gremista. O jogo é perigoso, pois o Flamengo não se resume apenas a Ronaldinho, há muitas peças perigosas. Sem contar o clima tenso que pode nos prejudicar no STJD. Portanto, não faça besteiras. Vale vaiar, tirar sarro, mas sem violência. Mas não esqueça o principal: é o Grêmio em campo, ele sempre será maior que tudo e precisa de seu apoio.
Força e Raça, meu Grêmio.
Por @maurinhodutra